História do Sexo no Cinema

História do Sexo no Cinema

No Comment
Uncategorized

História do Sexo no Cinema

cinema e sexualidade

Amor, paixão, sexo, romances e escândalos sempre fizeram parte da história do cinema desde o início de sua existência. Alguns filmes famosos que marcaram época, merecem ser citados e apreciados por apresentarem algumas peculiaridades.

  1. O Último Tango em Paris, 1972, teve como protagonista o ator Marlon Brando. Aqui o personagem procura se livrar da perda da mulher que se suicida. Uma das cenas teria chocado multidões. Nela, o personagem unta com manteiga as nádegas de uma garota francesa, interpretada pela atriz Maria Schneider, fazendo com ela sexo anal.
  2. O Império dos Sentidos, 1975, do diretor Nagisa Oshima, foi baseado numa história da vida real, onde uma prostituta e seu cafetão se unem até as últimas conseqüências numa prática de sexo incessante. O filme teria sido o primeiro filme comercial com cenas criativas e explicitas de sexo.
  3. Atração Fatal, 1987, protagonizado por Michael Douglas e Glenn Close, é a história de um advogado, bem casado que tem uma relação extraconjugal cujas conseqüências terminam em tragédia. A cena de sexo feita na cozinha foi considerada por muitos, marcante.
  4. Instinto Selvagem, 1992, teve como protagonistas a atriz Sharon Stone e o ator Michael Douglas. Ela é a suspeita de um crime e ele é o detetive que investiga o caso. Durante as investigações, ambos acabam se envolvendo. Cenas tórridas de sexo e a famosa cruzada de pernas da personagem continuam na memória de quem assistiu à fita.
  5. Corpo em Evidência, 1992, protagonizado por Madonna e Willian Dafoe é a história de um milionário que é encontrado morto após uma overdose de sexo. A principal suspeita é Rebecca que vai a julgamento. Seu advogado é seduzido por ela, passando a viver várias fantasias. A cena mais marcante do filme talvez seja a que a personagem de Madonna despeja cera quente de vela sobre o corpo do advogado.
  6. 9 ½ semanas de amor, 1986, é a história de um homem misterioso e discreto (Mickey Rourke) que seduz uma bela mulher (Kim Basinger), envolvendo-a em jogos sensuais. O filme marcou época pela ousadia das fantasias e jogos sexuais que foram mostrados com maestria pelos protagonistas do filme.
  7. Janela Indiscreta, 1954, clássico de Hitchcook, um fotógrafo (James Stewart) quebra perna e ó obrigado a ficar em casa, passando todo tempo a observar as janelas dos apartamentos em frente ao seu, até o dia em que presencia um “crime”.

Existem vários filmes que poderiam ser citados, e só não o faço por falta de espaço. Acredito que de alguma maneira, somos envolvidos por suas histórias que acabam marcando nossas vidas. Quanto ao sexo, que aparece das mais variadas formas no cinema, pode-se dizer que essas cenas acabam se tornando também uma fonte inspiradora para o enriquecimento da vida a dois.

Deixe uma resposta