História do Donjuanismo

História do Donjuanismo

No Comment
Uncategorized

Donjuanismo e o sexo dos dias de hoje

Donjuanismo

Quem já não ouviu falar, ou já não leu alguma coisa sobre o histórico Dom Juan, “O conquistador?” Aquele que arrebata os corações femininos, com requintes de sedução e erotismo? Pois sim, estamos nos referindo ao Dom Juan, e iremos nos detalhar sobre o que acontece com esse tipo de homem, que sofre desse mal, ou melhor, da Síndrome do donjuanismo.

Existe até mesmo um filme, chamado Don Juan de Marco, com os atores Johnny Depp e Marlon Brando, que foi escrito e dirigido por Leven Jeremy, onde é contada a historia de um homem (Johnny depp) que se achava o próprio Don Juan, que tão logo ao iniciar tratamento com o psiquiatra (Marlon Brando), por tentar suicídio, começou, ao relatar toda sua historia, a influenciar na vida do medico (psiquiatra), que deixava sempre sua esposa pra segundo plano. A vida de todos sofre uma mudança, através de uma fantasia de donjuanismo.

Mas e por trás de toda essa bela história de sedução, de conquista, erotização, que fazem parte da vida de Don Juan, o que pode existir? Afinal de contas, se torna curioso tentar entender o que se passa com esse tipo de mente masculina que segue a “corrente” do Don Juan.

Podemos fazer uma breve relação sobre o donjuanismo e arte do ficar, este (muito bem estabelecido e já compreendido por todos, principalmente os jovens).O que existe de comum entre ambos é justamente, a falta de comprometimento no final da conquista.

É correto afirmar que diferenças também são evidentes, pois no donjuanismo, depois de escolhido o alvo, este partia com muita garra e vontade para tê-la em seus braços, não faltava sedução, carinhos, envolvimentos, como se fosse a ultima conquista, era feito de tudo para seduzi-la, e assim que a tinha em seus braços, se entregava de corpo e alma, todavia depois do ato consumado e da conquista feita por completa, vinha o abandono, pois já não tinha mais graça e sentido, a continuidade não faz parte dos planos de Don Juan, e então vinha o abandono, até que se conheça o próximo alvo de seus olhos sedutores.

Já no ficar de hoje em dia, não existe tão rigorosamente o critério da conquista (até mesmo pela facilidade numérica, de mais mulheres para poucos homens), nisso há o desejo, a vontade de ficar com uma pessoa (mulher) no caso, mas se ao perceber dificuldades, o homem parte para outra sem se preocupar com a posse, com planos de conquista. E aí está a diferença entre o donjuanismo e o ficar dos dias atuais, mas podemos dizer, sim que Don Juan era um eterno ficante, dos tempos remotos.

Entendendo um pouco sobre o donjuanismo:

Sendo este um aspecto particular do comportamento humano, essa classificação não existe em denominações no CID. 10 ou DSM.IV, não significando com isso que pessoas com esse tipo de comportamento não existam.

O que ocorre com Dom Juan, independente da interpretação que o filme “Dom Juan de marco” nos coloca, é que no donjuanismo há uma liberdade sexual e explícita, que possui como característica fundamental, a compulsão pela arte da sedução, se refletindo numa estrutura social e comportamental especifica, que tem necessidade de seduzir o tempo todo, gostando de todo contexto que envolve uma conquista difícil, por uma vez conquistada, a abandona. Não existe o apego, nem o desejo de continuidade, assim como o desprezo pelos sentimentos da mulher desejada.E isso gera aspectos de critérios para o diagnostico de Sociopatia ou de personalidade Anti-social.

No donjuanismo há o interesse instantâneo pelo prazer e o seu grande triunfo sobre a conquista. E quando seu objeto de desejo tem uma situação civil proibida, ou seja, se a mulher escolhida, é casada, filha de um amigo, e assim por diante, representando algo mais complicado para o seu objetivo final (da conquista). O aspecto marcante na personalidade do donjuanismo é justamente a dificuldade e a competição, ele precisa desses fatores para suas conquistas ter um gosto especial.

Para alguns especialistas, o donjuanismo pode conter um excesso no complexo de Édipo, se fixando na figura materna, visto que muitos deles acabam morando com a mãe e não constituem família.

Um Don Juan seria o homem perfeito se não desejasse mais a mulher que escolheu para desejar e conquistar, pois ele sabe muito sobre os gostos e a fraquezas de suas vitimas, se tornariam verdadeiros príncipes encantados, se não fosse o desprezo pelo sentimento da vitima a qual seduziu, pois não fica com nenhum resquício de emoção por esta, e logo sai à procura de novos alvos.

O donjuanismo deve sim ser objeto de atenção medica, não por se tratar de um doente, mas por se tratar de um ser não normal e que implica sentimentos de sofrimento em outras pessoas. Frente a isso existe no DSM.IV e na CID. 10 alguns critérios encontrados no Don Juan que podem também ser encontrado no transtorno Dissocial da personalidade ou no transtorno Anti-social da personalidade.

Don Juan, só tem sucesso em suas conquistas amorosas, pois em outros aspectos da vida, não costuma ser bem sucedido. Seu trajeto de vida não costuma ter um final feliz, pois alem de estarem sempre sós, não constituem família, e quando a idade avança, e, por exemplo, já estão na faixa dos sessenta anos, e querem partir para a conquista de mocinhas de vinte anos, suas tentativas já estão fora do contexto, alem de serem ridicularizadas. Nesse momento podem começar a se sentirem angustiados, quando acabam se dando conta da solidão.

Don Juan, é melhor que fique sempre nos sonhos das mulheres, porque na realidade, encontrar um Don Juan, seria sinônimo de sofrimento e desprezo pra vida toda.

Deixe uma resposta